00:00
02:48
Olá, hoje é terça-feira 01 de novembro de 2022, meu nome é Leandro Milléo, assessor de Agronegócios em Passo Fundo-RS, e vamos falar sobre o cenário do trigo.

A colheita avança pelo Brasil, com aproximadamente 40% da área cultivada já colhida. Permanece a expectativa de safra recorde de aproximadamente 9,5 milhões de toneladas, 25% maior que a safra anterior. A atenção se volta para o excesso de chuvas na região Sul, que durante a fase da colheita afeta diretamente a qualidade final dos grãos, fazendo com que estes sejam desvalorizados no momento da comercialização com a indústria. O estado do Paraná é o mais atingido até momento. Segundo dados do DERAL, mais de 63% da área já foi colhida e a expectativa é de redução de aproximadamente 5% na produção esperada, resultando em uma produção total de 3,5 milhões de toneladas.

Já no estado do Rio Grande do Sul, a colheita avança lentamente. Segundo dados da Emater-RS, apenas 7% da área foi colhida até o momento, sendo que a média das últimas 5 safras é de 41% para o mesmo período. Apesar do excesso de chuvas, a expectativa é para uma grande safra, com a produção de aproximadamente 4,7 milhões de toneladas, sendo este um recorde para o estado.

No cenário internacional, destacamos a quebra da safra argentina, que segundo dados da Bolsa de Comércio de Rosário, será 40% inferior em relação à safra 2021, resultando em uma produção de 13,7 milhões de toneladas, consequência da forte seca que atinge a região norte do país. Com isso, a Argentina terá menos trigo disponível para a exportação.

Outro ponto importante se refere as incertezas da renovação do acordo entre Rússia e Ucrânia, para exportação de grãos ucranianos pelo Mar Negro. Além disso, a Rússia estaria impedindo a implementação total do acordo, forçando os portos ucranianos a trabalharem abaixo de sua capacidade operacional.

O indicador Cepea/Esalq-Paraná registrou aumento de pouco mais de 8% nos últimos 30 dias, com a tonelada do cereal cotada atualmente a R$ 1.838. A quebra da safra argentina, contribuiu para esse aumento dos preços no mercado interno, visto que ela representa historicamente mais de 85% das importações brasileiras.

E como podemos ajudar nossos clientes nesse momento? O Banco do Brasil disponibiliza linha de comercialização para este e outros cereais de inverno para auxiliar o produtor rural na sua gestão e otimização das estratégias de venda. Consulte sua agência BB e parceiros agro para mais informações.

Conte sempre com a assessoria especializada em agronegócios e com toda equipe do Banco do Brasil. Fica a dica de crédito consciente e sustentável. Boa safra!
Olá, hoje é terça-feira 01 de novembro de 2022, meu nome é Leandro Milléo, assessor de Agronegócios em Passo Fundo-RS, e vamos falar sobre o cenário do trigo. A colheita avança pelo Brasil, com aproximadamente 40% da área cultivada já colhida. Permanece a expectativa de safra recorde de aproximadamente 9,5 milhões de toneladas, 25% maior que a safra anterior. A atenção se volta para o excesso de chuvas na região Sul, que durante a fase da colheita afeta diretamente a qualidade final dos grãos, fazendo com que estes sejam desvalorizados no momento da comercialização com a indústria. O estado do Paraná é o mais atingido até momento. Segundo dados do DERAL, mais de 63% da área já foi colhida e a expectativa é de redução de aproximadamente 5% na produção esperada, resultando em uma produção total de 3,5 milhões de toneladas. Já no estado do Rio Grande do Sul, a colheita avança lentamente. Segundo dados da Emater-RS, apenas 7% da área foi colhida até o momento, sendo que a média das últimas 5 safras é de 41% para o mesmo período. Apesar do excesso de chuvas, a expectativa é para uma grande safra, com a produção de aproximadamente 4,7 milhões de toneladas, sendo este um recorde para o estado. No cenário internacional, destacamos a quebra da safra argentina, que segundo dados da Bolsa de Comércio de Rosário, será 40% inferior em relação à safra 2021, resultando em uma produção de 13,7 milhões de toneladas, consequência da forte seca que atinge a região norte do país. Com isso, a Argentina terá menos trigo disponível para a exportação. Outro ponto importante se refere as incertezas da renovação do acordo entre Rússia e Ucrânia, para exportação de grãos ucranianos pelo Mar Negro. Além disso, a Rússia estaria impedindo a implementação total do acordo, forçando os portos ucranianos a trabalharem abaixo de sua capacidade operacional. O indicador Cepea/Esalq-Paraná registrou aumento de pouco mais de 8% nos últimos 30 dias, com a tonelada do cereal cotada atualmente a R$ 1.838. A quebra da safra argentina, contribuiu para esse aumento dos preços no mercado interno, visto que ela representa historicamente mais de 85% das importações brasileiras. E como podemos ajudar nossos clientes nesse momento? O Banco do Brasil disponibiliza linha de comercialização para este e outros cereais de inverno para auxiliar o produtor rural na sua gestão e otimização das estratégias de venda. Consulte sua agência BB e parceiros agro para mais informações. Conte sempre com a assessoria especializada em agronegócios e com toda equipe do Banco do Brasil. Fica a dica de crédito consciente e sustentável. Boa safra! read more read less

about 1 year ago #agricultura, #agro, #agronegocio, #bb, #broto, #safra, #trigo, #triticultura